Sexta-feira, Maio 24, 2024
InícioMancheteTeresina entra nesta segunda (21) na terceira etapa do plano de flexibilização...

Teresina entra nesta segunda (21) na terceira etapa do plano de flexibilização de medidas restritiva

Teresina inicia nesta segunda-feira (21) a terceira etapa do plano de flexibilização das medidas sanitárias restritivas para a contenção da Covid-19.

Nessa fase, será realizado interstício para averiguação da permanência de Teresina na categoria de risco baixo (verde) por mais uma semana, a despeito das medidas de flexibilização implementadas nas duas etapas anteriores.

Nesse momento, também não haverá nenhuma medida adicional. Segue facultativo o uso de máscaras por indivíduos de baixo risco em ambientes abertos, para atividades individuais ao ar livre; será intensificado o monitoramento de todos os indicadores por mais uma semana, somando mais alguns intervalos de série, que assim, já poderão refletir o impacto das duas primeiras etapas de flexibilização sobre o cenário epidemiológico da cidade e isso permitirá ainda a análise para o prosseguimento do plano, para a quarta etapa.

O plano de flexibilização teve início em 7 de março deste ano sendo instituído através do decreto n° 22.200 publicado pelo prefeito de Teresina, Dr. Pessoa.

“O COE tem feito uma análise situacional da Covid-19 no município de forma criteriosa e com técnicos preparados e competentes, tendo esse olhar para os indicadores científicos sobre a pandemia” disse o prefeito.

O médico, neurologista, virologista (Doutor em Virologia) e membro do COE, Marcelo Adriano explica o motivo de se avançar para a terceira etapa.

“Os indicadores epidemiológicos consolidados mostram que, na última semana, Teresina permaneceu no nível de baixa transmissão da covid-19, ou seja, na faixa verde de transmissão da doença, de acordo com os critérios do Centro de Controle de Prevenção de Doenças dos Estados Unidos o que, por conseguinte, permite o avanço para a terceira etapa de flexibilização das medidas restritivas contra a covid-19 em Teresina”, disse.

Segundo a análise situacional da Covid-19, realizado pela equipe do Comitê de Operações Emergenciais (COE) Municipal, na 11 ª semana epidemiológica de 2022, Teresina apresentou nível baixo de transmissão da doença, sendo que no período de 13 a 19 de março, foram confirmados apenas dois casos da doença a cada 100.000 habitantes na capital.

Nesse mesmo período, foram internados apenas quatro casos de síndrome respiratória aguda a cada 100 mil habitantes em Teresina e apenas 2% dos leitos hospitalares do município estavam ocupados por pacientes com Covid-19.

Marcelo Adriano ressalta ainda que foram verificados alguns recordes epidemiológicos em Teresina.

“Nesta última semana, por exemplo, verificou-se o menor número de casos confirmados em uma semana durante todo o período de registro tabulado desde abril de 2020. Foi também calculada a menor taxa de transmissão, o menor índice básico de reprodução da doença desde o início da pandemia que agora, nesta última semana, ficou em 0.39,significando, portanto, que como o valor é menor que 1, que a epidemia está em fase de involução e significando que, por exemplo, 100 pessoas transmitem a infecção para 39 pessoas a cada ciclo, a cada geração de infectados que dura, geralmente, no caso da variante ômicron, aproximadamente três dias”, diz o médico.

O médico ressalta ainda que, após várias gerações de infectados, ou seja, após vários ciclos de transmissão que já se passaram desde a retomada das atividades escolares, desde o período de carnaval,  e algumas gerações, também após alguns ciclos de transmissão, após a primeira e a segunda etapa desse processo de flexibilização, não houve aumento da transmissão, do número de casos, da positividade, não houve aumento do número de atendimento por síndrome gripal indicando, portanto, que a flexibilização mantém-se de forma segura, responsável e monitorada.

Após os resultados que serão apresentados na análise da próxima semana, e a capital se mantendo na faixa verde (nível baixo) de transmissão, o município entrará na quarta etapa do plano de flexibilização que iniciará em 28 de março.

Nesta etapa, será revogada a obrigatoriedade do uso de máscara até mesmo em ambientes fechados, incluindo-se escolas e academias, respeitadas as demais exigências preconizadas pela vigilância sanitária municipal.

Marcelo Adriano fala sobre o surgimento de novas variantes com maior ou menor agressividade, maior ou menor transmissibilidade, bem como o aumento localizado no número de casos em alguns países, ou regiões do Brasil ou mesmo do Piauí, o que, segundo ele, serão uma tônica daqui para frente.

“Nós vamos ter que aprender a conviver com isso, mas nós temos dois colchões de proteções que são a cobertura vacinal e o monitoramento epidemiológico, monitoramento dos indicadores em tempo real que é capaz de sinalizar qualquer alteração no padrão verificado do cenário epidemiológico,  possibilitando a implantação de medidas de controle indicadas para cada situação. Em última análise, até podem sim retomar a recomendação de medidas restritivas anteriormente flexibilizadas, mas o nosso novo normal daqui pra frente vai ser ter essa convivência mas com o monitoramento atento para que Teresina e para que nossa região, nosso Estado fique protegido das interferências das consequências indesejadas da Covid-19”, conclui Marcelo Adriano.

Vacinação

Teresina, atualmente, apresenta um dos melhores índices de vacinação contra Covid-19 entre as capitais do país. Segundo a Fundação Municipal de Saúde (FMS) um total de 99,9% da população do município já está vacinada com a primeira dose e 94% com a segunda dose.

FMS
FOTO: INTERNET

Stay Connected
16,985FãsCurtir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever
Must Read
Related News