Piauí ultrapassa 600 mil pessoas imunizadas contra a Covid-19

O Piauí ultrapassou nesta quinta-feira (12) a marca de 19,06% da população adulta vacinada com as duas doses ou dose única de imunizantes contra a Covid-19, o que representa 625.393 pessoas vacinadas. A população que tomou apenas a primeira dose é de 44,70%, o que representa 1.466.680 pessoas vacinadas. O percentual de vacinados está disponível no Vacinômetro da Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi).

Com o avanço dos números, a meta do Governo do Estado é alcançar a imunização coletiva da população até o final de outubro. Isso, se o Ministério da Saúde mantiver o cronograma de repasses de vacinas de forma contínua e efetivar a compensação gradual de doses de vacina contra Covid-19 para o Piauí, para que o estado possa finalizar o processo de imunização sem benefícios ou prejuízos à população. Alguns estados receberam doses a mais por conta do registro de variantes do coronavírus considerados mais transmissíveis.

“Em alguns momentos em razão de critérios por grupos prioritários, em razão de situações como variantes que ocorreram, houve uma distribuição diferenciada, beneficiando alguns estados em até 5% a mais do que os demais”, afirma o secretário de saúde, Florentino Neto. Segundo ele, desde o início da pandemia a Sesapi tem feito um trabalho criterioso na distribuição das vacinas, auxiliando os municípios no enfrentamento a Covid-19. “Foram diversos desafios que superamos até agora, mas a luta não pode parar”, destaca o gestor.

Florentino Neto destaca que a vacina protege a vida das pessoas e que o Governo do Estado está trabalhando para garantir o maior volume de vacinados com 18 anos ou mais vacinadas. Ele relata que muitos municípios piauienses estão mais adiantados na aplicação das doses e avançando, inclusive,  nas faixas etárias. Como Arraial, Alvorada do Gurgueia, Cocal dos Alves e Fronteiras que já aplicaram mais de 99% das doses recebidas.

“O nosso grande desafio agora é buscar aqueles que ainda não se vacinaram. É importante que essas pessoas entendam que a ciência é o único caminho possível para combatermos o volume de contaminações, internações e óbitos”, disse.