Gestor da saúde faz alerta para importância das doses de reforço

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) faz um apelo para que a população não deixe de tomar as doses de reforço contra a covid-19. Até o dia 26 de maio, 62,15% dos teresinenses com direito à vacina tomaram a terceira dose (primeiro reforço) e apenas 12,81% foram imunizados com a quarta dose (segundo reforço).

Esta semana, a FMS está disponibilizando seis locais de vacinação para a primeira dose de reforço (que atualmente está disponível para pessoas de 12 anos e mais) e segunda dose de reforço (para adultos de 18 anos e mais). São eles: Teresina Shopping (edifício Garagem – estacionamento do G3) e os terminais do Parque Piauí, Zoobotânico, Livramento, Buenos Aires e CEU Norte. O horário de funcionamento é das 9h às 17h, exceto para o CEU Norte que funciona das 9h às 12h.

Gilberto Albuquerque, presidente da FMS, faz um chamamento à população para comparecer a um destes locais. “Se o cidadão está com o esquema atrasado, ou na época de receber algum dos reforços, pedimos que ele não perca a oportunidade”, convida. “Se conseguirmos atingir o objetivo de vacinar 100% da população, vamos reduzir o risco de uma nova onda da doença surgir, o que afetaria não só as ocupações dos hospitais como também o nosso dia a dia”, alerta o presidente.

Segundo dados do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública – COE Teresina, ao se comparar os percentuais de mortes entre os grupos de (1) não vacinados, (2) vacinados com apenas uma dose de esquema duplo, (3) vacinados com duas doses ou dose única eficaz e (4) vacinados com dose de reforço dentre os óbitos notificados e dentre a população de Teresina, verificou-se que aqueles vacinados com dose de reforço tiveram risco de morte 99,8% menor que pacientes não vacinados e 65% menor que pacientes que receberam duas doses de esquema duplo (AstraZeneca, Coronavac e Pfizer) ou uma dose do esquema de aplicação única (Janssen).

“Já está comprovado pela ciência que a vacina impede os casos graves de Covid, as internações e salva vidas”, comenta Gilberto Albuquerque. “Estes dados reforçam a necessidade da população procurar suas doses de reforço, por isso fazemos o apelo”, diz o presidente da FMS.