Governador Wellington Dias confirma reuniões com presidentes do Senado e STF

Wellington Dias confirma reuniões com presidentes do Senado, Câmara e STF (Foto:Agência Senado)

O governador Wellington Dias (PT) confirmou uma série de reuniões entre os governadores e o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux. O encontro deverá acontecer na próxima quinta-feira (02).

“O objetivo é demonstrar a importância de o Brasil ter um ambiente de paz, de serenidade onde possamos garantir a forma de valorização da democracia, mas principalmente criar um ambiente de confiança que permita atração de investimentos, geração de empregos e renda”, disse o governador do Piauí, Wellington Dias (PT).


O coordenador do fórum também afirmou que foi solicitada a reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), que
tem uma relação mais próxima com o presidente, enviou o pedido de reunião.



No texto, Ibaneis afirma que pretende fazer um encontro entre as autoridades “com o propósito de identificar e pautar pontos convergentes e estratégias visando salvaguardar a
paz social, a democracia e o bem-estar socioeconômico da população brasileira”.


Os governadores ressaltam que o encontro entre as autoridades é uma tentativa de diminuir a tensão entre poderes.


Sem resposta
Uma semana depois de terem oficializado um pedido de reunião com Jair Bolsonaro e com outros chefes de Poderes, os governadores não receberam qualquer resposta do
presidente da República até agora.Para evitar maiores atritos com Bolsonaro, foi proposto o convite para uma reunião. A ideia foi ignorada até agora pelo presidente por sugestão de seus principais aliados, que veem no movimento uma pressão contra o governo.


O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), ainda confia na possibilidade de abertura de diálogo com o presidente. “Quem quer diálogo não pode impor, não pode dar prazo”, disse ele. “Pelo Fórum dos Governadores do Brasil, seguimos abertos para a agenda e para criar um ambiente democrático, como estabelece nossa Constituição.”


Tensão no 7 de Setembro
Alguns governadores mostraram preocupação com as manifestações marcadas para o 7 de Setembro (Dia da Independência) e incentivadas por Bolsonaro, que pretende comparecer a encontros em Brasília e São Paulo.


“Esse tipo de manifestação que está se anunciando para 7 de setembro não se insere nas fronteiras legítimas da democracia. Pessoas armadas? Pessoas armadas na rua não é passeata, é motim. Agiu bem o governador Doria ao enquadrar desde logo porque há sim esse risco. Alguns acham maior, outros menor, mas o risco existe”, disse o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), citando o fato de Doria ter afastado nesta segunda o chefe do Comando de Policiamento do Interior da Polícia Militar de São Paulo, coronel Aleksander Lacerda.


Em postagens nas suas redes sociais, Lacerda convocava as pessoas para as manifestações de 7 de setembro e distribuía xingamentos ao governador, ministros do STF e presidente do Senado.

FONTE: PORTALAZ