Terceirizados da Saúde denunciam atraso de salários por falta de repasse do Governo

Empresa de saúde que prestou serviços à Sesapi denuncia atraso salarial de quatro meses (Foto: divulgação)

Médicos, enfermeiros e fisioterapeutas intensivistas da empresa Angio Corpus, e que prestaram serviços durante a pandemia ao Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba, denunciam que há quatro meses seus salários não são pagos pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi).


A empresa Angio corpus é especializada em serviços médicos de alta complexidade e gerenciamento de UTIs e emergências. De acordo com os profissionais, o serviço começou no dia 14 de maio deste ano e foi realizado na UTI COVID do HEDA e seus salários seguem atrasados até hoje.


“Desde o início dos serviços na mesma até a presente data nenhum funcionário foi pago pelos serviços prestados, médicos, enfermeiros e fisioterapeutas. A assessória jurídica da empresa Angio corpus alega que medidas estão sendo tomadas para a resolução e pagamento dos funcionários, porém continuam sem resposta alguma do governo ou uma
data prevista de pagamento, sempre alegando a demora por motivos burocráticos”, explicam em nota.


De acordo com os profissionais, os serviços prestados ajudaram na redução da taxa de mortalidade estimada de aproximadamente 30% dentro da UTI COVID-HEDA, que foi
fechada no dia 31 de julho por conta da redução do número de casos no município.


Veja o texto divulgado pelos profissionais:
Em 14/04/2021 médicos, enfermeiros e fisioterapeutas intensivistas da empresa Angio corpus ( empresa especializada em qualidade de serviços médicos de alta complexidade que faz gerenciamento de UTIs e emergências ) assumiram o desafio trabalhar na UTI COVID do HOSPITAL ESTADUAL DIRCEU ARCOVERDE ( HEDA ) – PARNAÍBA/PI. Serviço que resultou em uma redução da taxa de mortalidade estimada de aproximadamente 30% dentro da UTI COVID-HEDA, com fechamento da mesma em 31/07/2021 em decorrência da redução do número de casos. Desde o início dos serviços na mesma até a presente data nenhum funcionário foi pago pelos serviços prestados, médicos, enfermeiros e fisioterapeutas. A assessoria jurídica da empresa Angio corpus alega que medidas estão sendo tomadas para a resolução e pagamento dos funcionários, porém continuam sem resposta alguma do governo ou uma data prevista de pagamento, sempre alegando a demora por motivos burocráticos. E assim, médicos, enfermeiros e fisioterapeutas aguardam sem data e com a dúvida de quando e se serão pagos pelos serviços prestados para a SESAPI e para a sociedade parnaibana durante esse período de 4 meses, totalizando assim 4 meses de atraso salarial e com possibilidade de entrar no quinto mesmo, tendo em vista a falta de posicionamento e compromisso do governo com os esquecidos “ heróis da pandemia “ que além de profissionais da saúde são pais, mães, irmãos, filhos com compromisso a zelar.


Outro lado
Ao Portal AZ, a Secretaria de Saúde informou apenas que o “processo está sendo finalizado para pagamento”.

FONTE: PORTAL AZ